Fotógrafo há 10 anos, começou a trabalhar com audiovisual em 2011, participando como assistente de fotografia no curta-metragem KM 58 (2011) de Rafhael Barbosa. No mesmo ano, participou como codiretor de fotografia no documentário Interiores ou 400 Anos de Solidão (2011) de Werner Salles. Em 2012 venceu o prêmio de melhor direção de fotografia na III Mostra Sururu de Cinema Alagoano, por seu trabalho no documentário Exu – Além do Bem e do Mal (2012), de Werner Salles Bagetti. Também fez a direção de fotografia do curta-metragem O que Lembro, Tenho (2012), de Rafhael Barbosa. Dirigiu o curta de ficção Os ratos não descansavam, livremente baseado em trechos do romance Angústia, de Graciliano Ramos — curta contemplado com o prêmio de Melhor Montagem na Sururu de Cinema Alagoano 2013. Em 2014 viveu em Buenos Aires para participar de uma formação técnica em direção de fotografia e Gaffer, sobre técnicas de iluminação. Já atuou como diretor de arte, editor de arte, editor de vídeo, e atualmente se dedica ao audiovisual e à fotografia.

Contato
+55 11 95858 7080
michelrios@gmail.com

Back to Top